Skip to main content

Sonar realiza Diagnóstico da Música no Distrito Federal. Oficina fez parte de Consultoria UNESCO/SEC DF

Artistas, produtores e demais profissionais da área da Música se reuniram dia 05/04, na sede do Território Criativo na Biblioteca Nacional de Brasília, para uma Oficina de Diagnóstico da Música no DF. A oficina foi conduzida por Dani Ribas da Sonar, e faz parte da parceria que a Secretaria de Cultura firmou com a UNESCO para o levantamento de informações e fomento às cadeias produtivas do Distrito Federal. O material gerado vai subsidiar a formulação de políticas para este segmento.

 

 

Como construir uma política pública para a Música atualizada e em diálogo com as demandas locais?

A Secretaria de Cultura do Distrito Federal vem conduzindo esforços para aprimorar suas políticas culturais. Para isso foram contratadas diversas consultorias, via parceria com a UNESCO, para que especialistas possam contribuir tecnicamente para a qualificação das políticas culturais.

A consultora contratada para a área da Música foi Dani Ribas da Sonar Cultural, através de processo seletivo nacional.

A consultoria prevê levantamentos quantitativos para a identificação de gargalos do setor musical no DF, diagnósticos qualitativos, identificação de políticas e iniciativas nacionais e internacionais que possam servir de parâmetro para ações locais, e, finalmente, um prognóstico capaz de atualizar as políticas em andamento e de qualificar a elaboração de políticas futuras.

 

“O fato de haver a contratação de consultorias especializadas indica a preocupação da Secretaria em desenvolver políticas que sejam atualizadas em relação ao que vive o universo cultural, quais os instrumentos ideais para esse contexto de hoje, mediado pelas tecnologias. Então a própria existência dessa consultoria mostra que é uma preocupação forte em desenvolver as políticas já existentes e criar eventualmente mecanismos novos e atualizados” (Dani Ribas)

 

 

Oficina de Diagnóstico: o que pensam os agentes da música no DF

Além das fontes quantitativas que estão sendo levantadas pela Consultoria, há uma preocupação em trazer informações qualitativas que possam identificar questões que não aparecem nas pesquisas qualitativas. Além disso, a dimensão da participação social na construção das políticas é um elemento importante para a SEC. Segundo Mariana Soares, subsecretária de Políticas de Desenvolvimento e Promoção Cultural:

 

“A ideia é ouvir de perto o setor produtivo da música. Esta consulta subsidiará uma política de valorização da música no DF. A proposta é estabelecer algumas diretrizes amplas, pactuadas com a sociedade civil, que o Estado utilizará para desenvolver programas e projetos relacionados àquela área temática” (Mariana Soares, subsecretária de Políticas de Desenvolvimento e Promoção Cultural. Fonte: SEC DF)

 

Veja a chamada para a Oficina no blog da Sonar: http://sonarcultural.com.br/sonar-vai-realizar-diagnostico-da-musica-no-df-atraves-de-consultoria-unesco/

 

 

O método Diagnóstico Rápido Participativo

O método escolhido por Dani Ribas para a escuta da sociedade foi o do Diagnóstico Rápido Participativo. O método, simples e objetivo, tem o mérito de sistematizar demandas e organiza-las a partir de prioridades pactuadas pelos próprios participantes da oficina, que dividem-se em grupos para as discussões. Os resultados incluem ainda o encaminhamento de soluções às questões levantadas. (Foto: Eli Moura)

 

Os resultados e o material gerado pela oficina comporá o diagnóstico realizado pela consultoria. (Foto: SEC/DF)

 

 

 

 

Consulte a matéria completa sobre a Oficina no site da Secretaria de Cultura do DF e em sua página no Facebook:

Secretaria de Cultura ouve demandas da Música em Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *